quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Educação Onipresente: SemantiCore - O futuro?

1. Um pouco de história

Já a algum tempo venho pesquisando maneiras de utilizar os dispositivos móveis de comunicação (celulares, para ser mais objetivo) como auxiliares no processo ensino-aprendizagem da disciplina de Física, que ministro para meus alunos do ensino médio, do turno noturno, em uma escola estadual daqui de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, onde moro.

Aqui no meu blog, pode-se perceber que já fiz algumas experiências de produção de material didático para celulares, e apesar de estar obtendo relativo sucesso em despertar nos alunos o interesse pela atividades, percebo que ainda estou bem longe de obter os resultados esperados, que é o de encontrar uma alternativa realmente eficiente para o livro didático ou mesmo para os videos instrucionais e jogos educacionais tão em voga hoje em dia nas escolas.

Minhas iniciativas começaram com pífios SMS's enviados aos alunos, informando páginas do livro didático para serem lidas e resumidas por eles, ou enviando breve sinopse dos assuntos tratados em sala de aula. Rapidamente percebí a ineficiência desse método, e passei a buscar na Net algo mais para me inspirar, o que me levou a descobrir iniciativas realmente interessantes, levadas a efeito por colegas que utilizam os celulares para a produção de videos e outros utilizando os jogos para trabalharem determinados conteúdos com os alunos.

Cheguei a experimentar algumas ferramentas para a produção de material didatico para os alunos, tais como o excelente Hotpotatoes, e confesso que me enamorei por ele... mas eu queria algo mais... queria encontrar algo que me fizesse trabalhar com os celulares de maneira tão eficiênte como trabalhamos aqui nos Blogs, produzindo conhecimento rapidamente e abrindo oportunidades de interação com os "leitores".

Minhas buscas me levaram até o site MobileStudy, onde encontrei algo realmente interessante: uma ferramenta on-line capaz de gerar applets java de Quizes preparados por mim, e destinados aos celulares de meus alunos... e me sentí naquele momento totalmente atendido em meus anseios.

Mas como tudo que é bom dura pouco, comecei a refletir sobre a situação em que me encontrava: Usava uma ferramenta que não era minha, e que gerava código que era fechado, sem tradução para o idioma falado pelos meus alunos, e que pode, a qualquer momento se transformar em um serviço pago, ou até mesmo ser retirado do ar.

Não... definitivamente essa não era uma situação nada confortável, e não dava para permanecer assim.


2. A busca recomeça

Graças à comunidade "Blogs Educativos" recebí um email citando uma iniciativa do Instituto Claro em criar um concurso chamado "Prêmio Instituto Claro - Novas formas de aprender", e me atreví a inscrever nele uma de minhas iniciativas. Até a data da escrita deste Post nada a respeito do resultado desse concurso havia sido divulgado mas, independente do fato desse meu trabalho ser premiado ou não, esse concurso já produziu resultados importantes... eu me ví na obrigação de melhorar mais ainda o que eu estava fazendo!

Passei a pesquisar mais e mais na Net sobre o assunto... meu objetivo era encontrar algo que funcionasse como as ferramentas CMS Joomla ou Worldpress, produzindo frames em java tal como essas ferramentas produzem códigos em PHP, mas que também já estivesse preparada para explorar as funcionalidades do que se convencionou chamar de "Web 3.0", tal como a já famosa "Web semântica".


3. Quem procura, acha?

Ao pesquisar sobre a web semântica, encontrei um artigo falando sobre uma ferramenta brasileira chamada "SemantiCore", criada pelo Intelligent Systems Engineering Group da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, e  pensada para gerar frames capazes de suportar multiplos agentes e ser leve o suficiente para rodar em dispositivos de baixo poder computacional... tudo o que eu estava procurando?

Bem... ainda não dá para afirmar com certeza, mas essa ferramenta pode sim gerar aplicações que atendam aos meus objetivos pedagógicos... e mais... ela aparenta poder implementar recursos de computação cooperativa, algo interessante para se explorar no ambiente ensino-aprendizagem, onde o professor não detém o saber, mas sim interage facilitando a descoberta ou produção de conhecimento.


4. Próximos passos

Não sou programador. Sou professor, mas estou disposto a enveradar pelos caminhos da programação, se for preciso. Sim, tenho medo... mas meu medo é o de não ter todo o tempo que eu gostaria de ter para "entrar de cabeça" e dominar essa ferramenta que vislumbrei ser bastante útil a nós professores... e assim, faço um convite aos colegas: Alguem mais aí está disposto a me acompanhar nessa?

Como uma mão lava a outra, estou pretendendo criar um grupo de estudo para reunir colegas professores que estejam dispostos a sairem de suas cadeiras de balanço e arregaçarem as mangas para começarem a dominar ferramentas de produção de material didático para uso em celulares... algo que estou passando a chamar de "Educação Onipresente", haja visto que os celulares sempre estão junto dos nossos alunos.

Alguem se candidata?

Abraços...

Prof. Suintila

10 comentários:

Eduardo disse...

Olá Professor!
Gostei da sua idéia, achei muito interessante seu objetivo e tenho interesse em participar do projeto.
Espero poder contribuir de alguma forma.
Meu email: eclipsehs@yahoo.com.br

Franco disse...

talvez vc nao precise aprender a programacao...

mas pelo que foi exposto acredito que precisará de algum investimento, mesmo com a colaboração gratuita de programadores;

Fabiano Reis disse...

Olá professor , meu nome é Fabiano e tento me aliar sempre as tecnologias para usa-las como ferramentas pedagógicas, nunca fiz algo que envolve os celulares, mas gostaria te tentar, ou seja, eu aceito entrar nessa "barca", abraços.

Ass. Fabiano Reis
blog: http://biologiaquepariu.blogspot.com

Maria disse...

Olá, colega!!! É um prazer falar com vc e dizer que posso tentar ajudá-lo no projeto, muito embora não sou expert nesta área. Mas acho muito interessante sua ideia e gostaria de aprender um pouco sobre ela.
Aguardo seu contato.
Abs,
Maria do Carmo
meu email: maresan301@yahoo.com.br

Maria disse...

Olá, colega!!! É um prazer falar com vc e dizer que posso tentar ajudá-lo no projeto, muito embora não sou expert nesta área. Mas acho muito interessante sua ideia e gostaria de aprender um pouco sobre ela.
Aguardo seu contato.
Abs,
Maria do Carmo
meu email: maresan301@yahoo.com.br

Jenny Horta disse...

olá prof.!! Eu ingressei num grande grupo muito bacana e acho que tem exatamente o que você precisa:
Vale conhecer
http://culturadigital.br/groups/mobilefest
Grande abraço!

Prof. Suintila V. Pedreira disse...

Agradeço a todos que postaram seus comentários aqui... Vou estudar com carinho todas as observações que vocês fizeram, e prometo mantê-los informados sobre o andamento da criação de nosso futuro grupo.

Abraços a todos!

Prof. Suintila

Josué Oliveira disse...

Gostei do Blog. Estou aprendendo mais ainda com ele.

Alunos Jap disse...

Olá Suintila
Genial sua idéia. A produção de material didatico p/ celular pode vir a se constituir numa excelente farramente p/ ampliar o espaço de aprendizagem. Sucesso
Gostaria de colaborar mas não tenho nem celular por uma questão de aversão. Talvez agora eu começa achar alguma utilidade no celular. Visite nosso site e conheça nosso trabalho talvez poderemos trocar exeriencias
http://sites.google.com/site/escolajoseatoniopereira/

Italo

cesar stiegler disse...

fala velho lembra de mim, tomara que sim fui seu melhor aluno, saudades d vc velhoooo.. te por aii